Com atualizações semanais!

Com atualizações semanais!
Com atualizações semanais!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

As 10 melhores festas de Réveillon do mundo

As 10 melhores festas de Réveillon do mundo


A maior queima de fogos em Sydney. As 12 uvas na Puerta del Sol, em Madri. A comemoração com dois dias de atraso na Cidade do Cabo. A VT ouviu 15 especialistas do mercado e preparou uma lista com o que de melhor rola no Ano-Novo fora do Brasil
Réveillon em Sydney: adeus, ano velho - Foto: Holger Leue/Lonely Planet Images.





Paris
A Champs-Élysées fica tomada por quase 600 mil pessoas. Todas à espera do momento em que as luzes da avenida e da Torre Eiffel se acendem. O show de luzes é bonito, mas a multidão, o frio e um clima de "não era bem isso que eu esperava do Réveillon em Paris" podem tornar a coisa meio chocha. Um ótimo jeito de animar a noite é passar a virada num barco sobre o Sena (Bateaux Parisiensbateaux parisiens.com; desde € 320, com jantar incluído; a volta ao cais é à 0h30).
Sydney
Cerca de 1,5 milhão de pessoas se reúnem na região do porto para assistir à queima de fogos na Ponte Harbour. Em 2008, foram 5 toneladas de fogos de artifício e um investimento de 4 milhões de dólares. Para não ficar na aglomeração (nem ter de chegar ao meio-dia para garantir um bom lugar), uma boa é a festa do parque de diversões Luna Park (harbourparty.com; ingressos desde US$ 113). Além de estar à beira do porto, com ótima visão dos fogos, rolam DJs e brinquedos, como a roda-gigante Ferris Wheel, de 40 metros de altura. Se você preferir começar 2010 num ambiente mais glamouroso, uma filial da boate Pacha fará uma festa badaladíssima na casa noturna Ivy (merivale.com).
Cidade do Cabo
Lá a festa é no dia 2 de janeiro. O Tweede Nuwejaar, ou Segundo Ano-Novo, tem origem no século 18, quando a data era a única folga dos escravos da cidade ao longo do ano. Desde então, ela é comemorada com dança e música pelas ruas do centro. Dezenas de pequenas bandas desfilam em sequência rumo ao bairro Bo-Kaap, com seus integrantes vestidos com roupas supercoloridas. No dia 31, dá para descer no bondinho da Table Mountain, às 23h, e ganhar uma taça de vinho a bordo. Para jantar, o Signal (27-21/410-7080, capegrace.com) serve uma ceia por 238 dólares por pessoa, com direito a festa com DJ em seguida e vista para a queima de fogos no Waterfront.
Los Cabos
Localizado na pontinha da península mexicana da Baja California Sur, entre o Pacífico e o Mar de Cortez, Los Cabos é um point de celebridades. O lugar em especial para encontrá-las é o resort Las Ventanas (lasventanas.com). No Réveillon do ano passado, as atrizes Jeniffer Aniston e Courtney Cox e os cantores Ben Harper e Sheryl Crow cearam todos juntos. A festa da virada do hotel também é uma das mais disputadas: tem shows ao vivo de guitarristas e apresentações de mariachis, além, é claro, de fogos de artifício à beira da praia. O preço é de 350 dólares por pessoa.
Tailândia
Com uma costa repleta de praias e ilhas lindas (o filme A Praia, rodado lá, está aí para comprovar), a Tailândia é um ótimo destino de Réveillon para quem não abre mão de pular sete ondinhas, ver uma queima de fogos emocionante e abusar dos modelitos de verão. O point para festas é a Ilha Koh Phangan, palco da mundialmente famosa Full Moon Party. A diária para o Réveillon no melhor quarto do Mandalai Hotel (61/1 Moo 7 Chaloklum Road, 66-077/374-31619, mandalaihotel.com), com vista para o mar, sai desde 198 dólares.
Orlando
Passar as festas na Disney é uma tarefa que exige disposição. Os parques ficam lotados e, para assistir à tradicional queima de fogos do Epcot ou do Magic Kingdom à meia-noite, é preciso chegar de manhã, pois eles fecham ao atingir a capacidade máxima. Quem não estiver com crianças pode esticar a noite no Citywalk, na Universal (universalstudios.com) - animada e menos muvucada. As casas noturnas do complexo, como o Hard Rock Café e o Latin Quarter, organizam comemorações com shows e bufê.
Nova York
Com um frio de mais ou menos 10ºC negativos, a festa na rua é superrápida mas emocionante. O ponto alto rola na Times Square, onde há um enorme telão em que é feita a contagem regressiva. À meia-noite, uma bola gigante estoura e há uma chuva de papeizinhos coloridos. Quem fica pertinho chega, em média, 12 horas antes. Com meia hora de antecedência, ainda dá para ficar próximo ao Central Park e ver o bochicho, de longe. Depois da virada, restaurantes como o 230 Fifth (230-fifth.com) e o Hudson Terrace(hudsonterracenyc.com; ingresso por cerca de US$ 150) são palcos de boas festas com direito a vista da cidade, já que estão em amplas coberturas de Manhattan.
Las Vegas
A famosa Strip, trecho do Las Vegas Boulevard que reúne os mais luxuosos hotéis da cidade, fecha para carros durante a virada. Ali, à meia-noite, há queima de fogos. Em seguida, rolam shows e mais fogos no Fremont Street Experience (vegasexperience.com). Da rua, a pedida é ir a festanças como a da superbalada Pure (1-702/731-7873, purethenightclub.com). Por fim, aproveite os bons hotéis com diárias em promoção. Seis noites no Luxor (1-877/386-4658, luxor.com) saem por 750 dólares.
Dubai
Apesar de ser um país muçulmano, as comemorações seguem o calendário gregoriano e não deixam nada a dever às dos países ocidentais: a ambição do emirado é tornar a queima de fogos do Réveillon uma das maiores do mundo (em 2007, havia 25 pontos ao longo da praia para um show de dois minutos). O grande epicentro é, claro, no sete-estrelas Burj Al Arab (jumeirah.com), o hotel-cartão-postal em forma de vela de barco. Quem não topa pagar 2 000 dólares para participar do baile de gala do hotel (com direito a champanhe, ceia e shows de música) pode conseguir um espacinho na areia da praia pública em Jumeirah. De lá, tem-se uma visão panorâmica do espetáculo pirotécnico. Mais modesto, no Jumeirah Beach Hotel (jumeirah.com) a festa sai por 240 dólares por pessoa, com canapés e minigarrafa de champanhe. O problema fica por conta do imprevisível. Em 2008, o xeque cancelou, na última hora, as comemorações ao ar livre (é, justo os fogos) em solidariedade aos palestinos mortos na Faixa de Gaza.
Madri
A tradição entre os madrilenos é acompanhar, debaixo de zero grau, a contagem regressiva na Puerta del Sol e comer 12 uvas, uma a cada badalada da meia-noite. Mas, se esse hábito não o atrai muito, se refestele com outros: comer e cair na balada. A ceia do restaurante La Bola (34-91/547-6930,labola.es) custa cerca de 100 euros por pessoa. De lá, dá para rumar para baladas como a Kapital (34-91/420-2906, grupo-kapital. com) e encerrar a noite com churros com chocolate na centenária Chocolateria San Ginés(Calle Pasadizo de San Ginés, 5, 34-91/365- 6546), aberta até as 7 da manhã.
Festa de virada de ano na Disney - Foto: divulgação



Por: Heloisa Joly e Júlia Gouveia


Os maiores eventos de Ano-novo do mundo são:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário